Translate Me!

Porco de Estimação



Meu pai criava porcos
no chiqueiro do fundo do quintal
não adiantava ter lei municipal contra...

Entre os leitões, certa vez separou três
e deu um para cada um de nós...
leitões de estimação...

Assim ficava mais divertido
quando íamos lavar a casa deles
dar comida
ou passar tempo...

Não sei o porquê
nem a origem
mas pus nome no meu leitão de Cossolú
(o acento é pra você entender
a última sílaba é a tônica)

Eu o conhecia bem
ele a mim
de longe gritava seu nome
ele respondia com seu jeito de porco...
sabia quando preparava sua comida
e subia na cerca
esperando o carinho em sua cabeça
quando eu chegava perto...

Aos poucos se transformaram em amigos
alguns mais íntimos
a ponto de desabafar
coisas de minha vida

A tristeza veio com a chegada do natal
encomendas dos clientes
o massacre iniciando
ceias natalinas...

E cumpriram seus destinos
a leitoa de brincos do primogênito
o porco ruivo do caçula
Meu Cossolú...

...

Luto na celebração do nascimento...

4 ponto(s) de vista sobre esse poema:

Quem sou eu

Minha foto
Marcio Pacheco
I was born in 1978, in Itauçu. A very small town in the heart of Brazil...
Visualizar meu perfil completo

Meu Perfil no Facebook

Postagens mais visitadas

Deixe seu recado...


Seguidores

Torne-se um Leitor

 

Sobre mim!

Neste blog você encontra as poesias que fui escrevendo ao longo de minha vida. A grande maioria delas tem caráter auto-biográfico, mas nem todas. A sua missão é entrar em meu mundo, que agora abre as portas para você, e descobrir quem sou eu.

Meu nome é Marcio Pacheco. Sou formado em Letras (Português/Inglês), pela UFG e bacharelando em Informática pelo IFG Inhumas GO. Também sou missionário da RCC, desde 1996 e fundador do blog de reflexão do evangelho A Boa Semente.

Se quiser, visite meu perfil no facebook, adicione o meu twitter ou, simplesmente, mande-me um email.

Deus te abençoe sempre!

Visitem, também, meu mais novo projeto, o Vocenanet.com.